Marketing reverso prós e contras

Marketing reverso: prós e contras!

No marketing reverso, apostar em uma mensagem diferenciada é a grande sacada! É arriscar em uma comunicação única, com a proposta de literalmente chamar a atenção. Porém, nesta estratégia os resultados alcançados podem não ser os mesmos da proposta inicial e a empresa ou marca, na maioria das vezes, se torna alvo de críticas bastante pejorativas. No entanto, mesmo com os insultos, a repercussão pode sim ser positiva.

O marketing reverso está se tornando uma tendência dentro das agências de publicidade e sua grande aliada é, sem dúvidas, a internet. É no universo digital que as campanhas ganham força, as marcas e os produtos chamam a atenção e conquistam milhares de consumidores.

Além disso, o marketing reverso é uma estratégia capaz de gerar resultados impressionantes, sim! No entanto, são necessários alguns cuidados, considerando que a internet está tomada pelos “haters”.

Os haters, conhecidos por utilizarem a internet e espalharem ódios e revoltas em relação a determinado assunto, ganham cada vez mais atenção de empresas, figuras públicas e autoridades do Brasil. Eles, geralmente, expressam suas opiniões de forma agressiva e isso, com certeza, atrapalha uma estratégia de marketing e gera prejuízos a uma empresa ou marca.

Conheça recentes casos em que uma estratégia de marketing reverso foi atingida pelos haters

A polêmica da série “O Mecanismo”

Quanto maior a revolta dos políticos, mais novos expectadores a série “O Mecanismo” conquista! Dirigida por José Padilha e estrelada por Selton Mello, os episódios da série lançada na Netflix está sendo um assunto bastante polêmico entre os internautas, considerando que o programa aborda fatos envolvendo a Lava Jato, um dos maiores esquemas de corrupção realizado por políticos brasileiros no país.

Neste caso, o ódio daqueles que se indignaram com a série está, de certa forma, atingindo a Netflix positivamente e negativamente também. Afinal, apesar de ganhar expectadores, a plataforma também chegou a ser considera por algumas pessoas como “maniqueísta”. Aí está o grande problema! A revoltada espalhada na internet de forma provocativa e violenta criou grandes conflitos.

Prova disso é que, ao mesmo tempo em que a Netflix chamou a atenção e atingiu novos expectadores que vibraram com a série, também está enfrentando a revolta de alguns usuários que chegaram até a encerrar suas contas da plataforma.

Black is Beautiful

Papel higiênico na cor preta! A ideia, lançada pela Santher, empresa brasileira que produz papel de diversos tipos para uso industrial e doméstico, foi alvo de uma grande polêmica. Não pelo produto, mas pelo slogan “Black is Beautiful” usado na divulgação.

Diversas pessoas criticaram o slogan, por ser o mesmo nome de um movimento criado por artistas e intelectuais norte-americanos na década de 60 com o intuito de diminuir o preconceito e reforçar a beleza e valor da população negra. Além desses comentários, outros internautas criticaram a utilização do slogan.

Neste caso, a Santher retirou o slogan das peças, que deixou de fazer parte da campanha. Essa foi uma situação em que a estratégia de marketing foi atingida e que a revolta de alguns internautas realmente ganhou força, provocando diferentes questionamentos em relação à marca.

Ação contra as Havaianas

Quando a sandálias Havaianas lançou na televisão o comercial da “vovó moderninha”, como ficou conhecido, a empresa se tornou alvo de muitas críticas, a ponto do Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) tomar frente e mover uma ação contra as Havaianas.

Na propaganda, uma velhinha conversa com sua neta em um restaurante quando de repente chega o ator Cauã Reymond. A menina começa a suspirar pelo galã e a avó diz que ela deveria arrumar um rapaz como ele. No entanto, quando a neta diz que deve ser chato casar com um famoso, a velhinha logo responde que não estava falando de casamento, mas sim de sexo.

Depois de inúmeras contestações de telespectadores na internet, dizendo que ficaram abismados com a fala da avó, o Conar moveu a ação, o que resultou na mudança do comercial. Após um tempo, a empresa colocou no ar um vídeo em que a mesma velhinha explica ao público que a propaganda foi tirada do ar por causa de reclamações, mas que continuaria disponível na internet. Este foi mais um caso em que uma estratégia de marketing foi bruscamente interrompida por comentários, críticas e opiniões dos internautas, ou dos famosos haters.

Depois desses e de tantos outros casos, a lição que fica é: o marketing reverso existe e pode ser uma excelente maneira de atrair determinado público, sim! No entanto, todo cuidado é pouco quando essa estratégia é colocada em prática. O sucesso de uma campanha depende de uma mensagem diferenciada, mas também de muita cautela na divulgação. Além disso, a empresa precisa estar preparada para a tempestade de opiniões e críticas que poderá receber.

Dúvidas sobre o assunto? Entre em contato conosco!

0 comentáriosAdicione um comentário →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *